Escolha ser mulher, escolha ser absoluta!

A Terapeuta Holística e Focalizadora de Grupos Femininos, Elisabeth Dusik, faz uma reflexão sobre a beleza e a perfeição, sobre nossa liberdade de escolhas, rótulos, preconceitos, sobre cobranças - sobretudo, as internas...
É também uma homenagem a todas as mulheres pelo mês de maio, mês das mães, mês das noivas... mês de quem sabe ser absoluta, aquela que integra todas as possibilidades...


Mês de maio, mês das mães, mês das noivas... mês da Mulher!
Mas, afinal, o que é ser mulher nos dias de hoje? O que é beleza? O que é sucesso? O que é realização?...
Fomos nos perdendo... nos padronizando... e fomos aceitando...
Ser bela... ser magra... ser moderna... ser boa mãe... boa profissional... boa filha... boa esposa... boa amiga... boa amante... ser... sem falhas... ser em fragmentos, em partes dissociadas de si mesma!
Quantas cobranças a sociedade nos impõe, e quanto somos responsáveis por isto nos cobrando a "perfeita" perfeição!!
Tão mais simples e digno trabalharmos à "perfeita" aceitação.
Aceitação da mulher fragmentada dentro de nós com tantos deveres e obrigações.

Aceitar não significa negar, concordar ou se adequar às regras de se desdobrar em vários papéis, do que é imposto ou cobrado pela sociedade moderna, pela família ou por nós mesmas... O mais importante é sabermos que aceitação passa pelo processo de amar a si mesma, pois quando amamos a quem amamos, queremos o melhor! Porque quando amamos, fazemos o melhor!

E fazer o melhor por nós mesmas, pelas nossas escolhas, é fazer a "perfeita" aceitação de que ser mulher é divino, é belo!
Não falo aqui da beleza produzida, para mídia, da geração beleza e só, sem essência... à "perfeita" perfeição! Não!
Não que isto seja errado, depende do quanto podemos lidar com as limitações...
Falo da beleza de "SER", sim!... ser mulher... mãe... amante... namorada... amiga... profissional... atuante... etc... mas falo principalmente na beleza única de ser aceita por si mesma, respeitada em seus valores, crenças, posturas e escolhas...
A mulher moderna e atuante pode também ser a mulher brega e romântica que quer um homem para chamar de seu (por que não?)... para cultivar não até que a morte os separe mas o sim que, enquanto dure, seja eterno em aprendizado e crescimento.
Que pode ser mãe com toda a força, e escolher sem medo por ficar em casa, pelo simples fato de querer ela mesma criar seu filho, ou ser profissional e mãe sem culpa em deixar o filho em mãos responsáveis e dar mais em qualidade do que em quantidade...
Não existe certo e errado, existem escolhas...
Escolhas na liberdade... de todos os rótulos... de todos os preconceitos... de todas as cobranças... principalmente as internas, para que na imperfeição se encontre a perfeição em ser inteira, aceita, feliz, e bela... em "SER" simplesmente ABSOLUTA, aquela que integra todas as possibilidades... de se tornar "DIVINAMENTE MULHER"...

Minha homenagem a todas as mulheres, à profissional, à mãe, à avó, à namorada, à amiga, à amante, à esposa, a todas mulheres perfeitas e lindas... imperfeitas e lindas igual... que o mês da mulher seja o mês a aceitação ABSOLUTA do SER MULHER!.

Elisabeth Dusik
Focalizadora de Grupos Femininos e Terapeuta Holística
http://flordelyz.com.br/
http://www.blogger.com/profile/16125213298411872795
bethdusik@ig.com.br
ESTEIO/RS

3 comentários:

Rose disse...

Absolutamente é isso mesmo! Valeu Bety!!!

Anônimo disse...

ô lindona,compartilho realmente contigo sobre a "tal" da aceitação, essa é a "grande sacada",sentir mais do que saber que somente poderemos amar o outro qdo amarmos verdadeiramente/aceitarmos nosso ser integralmente. Te adoro, sucesso!!lizzy

MARCÍLIA ABSOLUTA disse...

EU GOSTEI DE MAIS DA REPORTAGEN ABSOLUTA PORQUE EU TEM UM BLOGGER QUE SI CHAMA MARCILIA ABSOLUTA VALEUUUUUUUUUUUU

 
Série Temática Edição Absoluta/Beleza. COORDENAÇÃO E DESIGN: RICARDO MARTINS. Foto-topo: Jéssica Pulla, bellydancer, clicada por Toni Bassil.