O charme e a tradição dos banhos de ofurô

Ofurô lembra cena de filme, direto. Banho de princesa. Ou alguma parceira ocasional de James Bond...
Mas o verdadeiro sentido, vindo do oriente, é bem diferente. Faz parte de um hábito simples e cotidiano, sendo que no Japão até hospitais têm ofurô.

Conheça detalhes dessas banheiras muito charmosas e veja como maximizar seu banho na entrevista com Eliane Dornellas. Ela é Química, tem especialização em fitocosméticos e aromaterapia, e faz consultoria para montagem e implantação das técnicas de banho em spas, hotéis e clínicas, em todo o Brasil.


Qual é a simbologia dos famosos ofurôs?
A palavra furô é de origem japonesa e significa local de tomar banho, quando acrescida da vogal “o” no início da palavra sinaliza uma forma mais reverente e respeitável para designar este objeto, ficando a tradução de Ofurô a algo parecido com “A Senhora Banheira”, e associa a prática do banho ao local sagrado de nossa origem, o útero. Conhecido, simplesmente, em nossa língua como banheira. Tomar banho de ofurô é retornar simbolicamente ao período da gestação, ao primeiro banho de imersão, na origem da vida.

De que materiais são feitos?
Não é o material com que se confecciona um ofurô que determina sua função, mas o seu formato, que deve ser profundo e curto para que se possa colocar o corpo em posição fetal, e a temperatura correta do banho, que pode estar, dependendo da finalidade desejada, entre 36 e 40ºC. O comprimento do ofurô, diferente das banheiras ocidentais, é pequeno, necessitando apenas o comprimento para acomodar as pernas semiflexionadas. Existem ofurôs feitos com diversos materiais diferentes: pedra, alvenaria, metal, madeira, fibra e acrílico. No Japão, atualmente mais de 80% da população utilizam os modelos em fibra, por serem mais leves, portáteis, térmicos e higiênicos. Para uso profissional esses modelos são os indicados, assim como os de metal, por serem estes materiais de superfície polida, não retendo matéria orgânica que atuam na proliferação de microorganismos patogênicos. Por motivos de decoração estas banheiras podem ser revestidas por deck de madeira ou pedra, tendo o seu interior banheiras de fibra, permitidas pela ANVISA.

Que cuidados sutis devem ser tomados antes do banho?
Em primeiro lugar, para o uso profissional, tem que ser feita uma boa anamnese. Quanto mais dados você tiver da pessoa para quem o banho vai ser preparado, melhor - informações tanto da sua saúde física, quanto da saúde emocional e mental. Não existe um padrão para preparar o banho, uma receita fixa. Essa é uma visão ocidental. Uma avaliação correta deveria levantar todo o estado energético da pessoa. Esse é o principal cuidado. A segunda questão diz respeito à sensibilidade de cada pessoa. Uma gestante, por exemplo, não deve tomar banho de ofurô sem que se leve em consideração, além de suas condições de saúde, os cuidados que devemos ter com o bebê. Para isso recomenda-se a autorização médica (do obstetra que acompanha o pré-natal). Pessoas idosas que apresentam muita oscilação de pressão, de estado de equilíbrio e bem-estar, também merecem o mesmo cuidado.
Outra questão é a respeito da origem das plantas que se utilizam nos banhos. Por exemplo, tem gente que compra plantas com agrotóxico. Quer pôr rosa para enfeitar o banho e coloca planta cheia de veneno! A procedência de plantas e óleos essenciais a serem usados deve sempre ser levada em consideração. Hoje em dia, já existem alguns produtores orgânicos de flores e ervas.

Como enriquecer ao máximo os efeitos de um banho?
Além dos próprios óleos essenciais, algas, sais termais, a temperatura da água, a quantidade de água na banheira e o tempo de duração, você pode se aproveitar da questão estética, visual mesmo. Valem quadros, músicas, aromas. Quanto mais o ambiente conseguir sensibilizar todos os sentidos, melhor. Os japoneses, por exemplo, usam a ikebana como uma terapia: ao olhar para um bonito arranjo floral, acreditam, ocorre a harmonização com a energia do espírito, e isso leva você para um estado de beleza. É este o princípio de se colocar flores numa banheira.

Quem mais se beneficia com o ofurô?
Como o ofurô faz a pessoa retornar (simbolicamente) à sua fonte de origem, como se pudesse renascer, todos os que precisam se sentir cuidados, protegidos e amparados se beneficiam de um banho. É como ir para o colinho da mamãe. Também mulheres que tem TPM se beneficiam com um tratamento de ofurô preventivo, e logo começam a melhorar de sintomas como cólicas, mau humor, enxaqueca etc.
O estresse é outro caso que acaba se resolvendo bastante rápido: há pessoas que entram em um estresse tão louco que só conseguem trabalhar e ir para casa dormir. É gente que não tem um lazer, não tem um contato com a natureza, só pensa em produzir, ganhar dinheiro, tem que matar um leão por dia, e se esquece da essência, da vida. Para esses casos, o ofurô quebra a rotina e traz a pessoa um pouco para esse centro mais natural, dela própria.
Você pode ter uma banheira lá num cantinho, tomar seu banho até como prevenção. A gente fala que funciona como fonte de juventude, é como voltar todo dia um pouquinho para a busca de bem estar, isso melhora a qualidade de vida. Entretanto, a mídia mostra um lado muito “hollywodiano do ofurô”: uma sala faraônica, caríssima, só para as noivas ou para a Julia Roberts... Não é isso. O ofurô no Japão é uma prática simples, como tomar banho comum. Tem ofurô nas casas ricas ou pobres. Os hospitais tem ofurô, os hotéis, o uso da banheira é hábito. Todos sabem que tomar banho de ofurô ajuda a eliminar toxinas e prevenir muitas doenças, pois é um tratamento térmico que elimina, pelo aumento da sudorese (transpiração), as toxinas no organismo. No Oriente, as pessoas não vão ao médico quando estão ruins, doentes; elas vão para aprender a cuidar da saúde e a não ficar doentes. Nesse sentido, acho que no Brasil essa prática cultural pode beneficiar muita gente, sobretudo porque o brasileiro é muito ligado ao banho. É o povo que mais toma banho no mundo. Se fosse na França, eu diria que seria mais difícil! Mas aqui todos gostam de água!

Que outras atividades terapêuticas podem ser feitas junto com o ofurô?
A massagem é muito usada, principalmente a técnica da drenagem linfática. Você também pode trabalhar o ofurô com florais, com protocolos estéticos corporais e faciais, com acupuntura, em fisioterapia. Pode substituir um tratamento de forno, porque o ofurô é um tratamento térmico. Ele tem uma utilidade muito grande. É um erro a gente imaginar que esse tipo de banho é coisa só para princesa, inacessível. Então só vou tomar banho de ofurô no dia da noiva? Não, devo, sim, tomar um banho de rainha no dia da noiva, mas é mais do isso, é simples! Acho que o Brasil é um lugar maravilhoso para se introduzir essa técnica capaz de levar a uma conscientização maior da importância do auto-conhecimento e da preservação da vida. O que venho fazendo nos últimos anos é tentar dizer para as pessoas que ofurô não é complicado nem banal. É muito poderoso e simples!

ELIANE DORNELLAS
Química, Professora do Senac e Consultora
http://www.busqueharmonia.com.br
elianedornellas@globo.com
ARAÇATUBA/SP


Fotos: Arquivo pessoal

Um comentário:

luciane disse...

Muito legal, fiquei encantada.
Gostaria de uma idéia de preços.

 
Série Temática Edição Absoluta/Beleza. COORDENAÇÃO E DESIGN: RICARDO MARTINS. Foto-topo: Jéssica Pulla, bellydancer, clicada por Toni Bassil.